segunda-feira, 21 de julho de 2014

Mr. Dom J.

Desde o primeiro momento que a ouvi, senti que a voz grave e forte, era de um homem de bem com a vida, seguro de si e do que queria.. E como é de longe, até surgir a oportunidade de efectivar uma marcação foram acontecendo vários telefonemas, sempre com a promessa que um dia  viria me conhecer.. 
Num desses telefonemas, fez me saber que gostava de dominar e como achei que estaria talvez a " apalpar terreno " para o meu lado, esclareci o que ser submissa não está nos meus planos, nas minhas fantasias nem no meu ser principalmente enquanto acompanhante..
Não se mostrou surpreendido com isso, afinal ele até costuma acompanhar os meus relatos  no blog.. Marcou para dali a alguns dias..
Chegou o dia e eu sentia me curiosa em conhecer a pessoa por detrás daquela voz que sabia agora pertencer a um Dominador.. 
Não me pus a tentar imagina lo, pois a muito que me vou treinando para não fazer isso, porque depois de tantos tentativas falhadas, aprendi a desistir.. Também não me sentia nervosa nem apreensiva.. Simplesmente curiosa..
Recebi o com um babydoll de renda preta bastante flexível, salto alto e cabelo solto.. 
Foi se despindo e conversando e eu aprovei para observa lo..
Alto, forte, sessentas e poucos, cabelo já praticamente todo branco.. Fez me lembrar aquele politico que nos enfiou na CEE sem pedir cavaco a ninguém, mas sem as bochechas descaídas  e sem aquela altivez de quem sabe que o país lhe deve muito, apesar de ultimamente andar a perder umas óptimas oportunidades de estar calado.. Coincidência, ou não, as roupas que iam sendo postas direitinhas no sofá, poderiam perfeitamente  ser usadas num qualquer congresso partidário.. 
Quando ambos já estamos na banheira, a atitude de " quem manda aqui sou eu" finalmente surgiu numa frase que até a data acho que nunca ma tinham dito, e agora a recorda la, parece que estou a ouvir a tal voz  segura e calma mas firme  a dizer me " eu não quero que tu te venhas!!"
Meia virada de lado, olhei o nos olhos para ver se ele estava a falar a serio, ao mesmo tempo que me passavam pela cabeça várias imagens que me poderiam fazer  a qualquer momento desatar a rir , mas eu só o tinha conhecido praí a uns meros quinze ou vinte minutos..
Ainda pensei em descansa lo e dizer lhe que não bastava tocar me ou roçar se em mim para eu me desfazer logo toda em orgasmos múltiplos, mas o olhar dele fez me sentir que seria aquela a maneira que ele me  tentaria quiçá, submeter unicamente as vontades dele..
Confesso que se ele não me tivesse falado anteriormente nesse assunto, provavelmente eu nem teria ligado ou apercebido, mas o certo é  que foi ele a dizer me aquilo, e a repetir a mesma coisa depois  de lhe perguntar se ele estava a falar a serio ou a brincar, e eu a envolver me numa espécie de armadura de defesa que muitas vezes  deveria fazer questão de usar..
Sinceramente,  não queria fazer valer o meu lado Dome que alem de algo inexperiente andava esquecido, mas  eu também não iria deixar que ele me dominasse a mim.. 
Não sei se ele se apercebeu disto tudo, mas deve de ter percebido que eu nem sempre fazia tudo o que ele mandava, ou da maneira que mandava.. 
Esta espécie de batalha psicológica e invisível foi bastante desafiante e equilibrada.. Confesso que gostei.. 
E gostei também quando ele me mandou enfiar lhe o mr.pink  no ânus..  O meu prazer não foi propriamente ver o vibrador a entrar a a sair lhe do cu, mas sim por estar a sodomizar um Dominador eheheheh 
A dada altura ele mandou me masturbar me, mas sem me vir,  claro ..
Pus o mini max II em acção de propósito pois sabia que com ele a vibrar no meu clitóris, seria uma questão de tempo até me fazer vir, estando eu ou não excitada.. 
Aproveitando o facto de eu estar entretida com o meu brinquedo , ele apanhou o meu babydoll, perguntou me se o poderia vestir e como lhe disse que sim, fê lo com um ar de alegria que eu até arriscaria que lhe surgiu um brilho no olhar ao ver se ao espelho .. 
Sem saber se me haveria de rir divertida até porque a lingerie lhe ficou muito bem, ou ficar pasma perante o surreal da situação ( pelo menos era o na minha cabeça) optei por continuar  a  apreciar a cena, a masturbar me  e a ficar realmente excitada..
Pavoneando se para um dos meus espelhos, e a virar se para ver todos os ângulos possíveis , a dada altura ele vira se para mim e faz um gesto tão... tão... como dizer ? tão.. e com uma voz tão meiga, tão doce,  tão... perfeito ... tão ... glamorosamente feminino!!
Sinceramente, não memorizei a frase.. Não me lembro se ele disse " posso ser a tua putinha" ou " sou a tua putinha " ou " sou uma putinha" , mas gravei aquele gesto, aquela voz , aquele senhor com mais de sessenta anos feliz por se sentir naquele momento uma autentica putinha..
 Impagável e deveras entesoante.. 
 Jamais irei esquecer..

3 comentários:

  1. O que começou por ser um dominador afinal era um submisso, revestido de uma protecção onde se apresenta como dominador para ver qual a reação para depois se poder entregar ao que realmente lhe agradava.

    Sempre em grande fofa

    ResponderEliminar
  2. Um dominador,com um interior muito submisso ;)
    Beijos grandes linda :)

    ResponderEliminar
  3. Voce e muito bela.... eu adoro voce

    ResponderEliminar